Escolha uma Página

O que é autossabotagem?

É um processo que pode atrapalhar você alcançar seus objetivos. Um mecanismo criado para nos proteger, mas que pode atrapalhar os planos. Realizar algo, via de regra, envolve mudanças. Não tem como obter um resultado diferente fazendo a mesma coisa. Uma frase conhecida, que gosto muito, atribuída à Albert Einstein mas que seria, na verdade, de Rita Mae Brown:

“Insanidade é continuar fazendo a mesma coisa e querer resultados diferentes”.

Tem como não achar insano, ilógico e ingênuo conseguir algo que não tem fazendo tudo igual? Então, mudar é pré-requisito para resultados e sucesso, se você ainda não chegou onde deseja, se você não sente satisfação pessoal, você precisa mudar algo. É nessa hora que pode entrar a autossabotagem.

Quando temos muita dificuldade de tirar nossos planos do papel, quando não conseguimos executar as tarefas que planejamos, quando nos sentimos empacados ou travados, podemos estar nos sabotando.

autossabotagemO processo de autossabotagem nasce a partir das “verdades” que criamos em nossa mente, em padrões de pensamento e comportamento que desenvolvemos e que nos limitam quando queremos mudar. É preciso entender que existe um mecanismo criado para nos fazer fugir, punir ou nos levar ao um prazer momentâneo, para supostamente nos proteger, nos manter onde estamos acostumados.

 

O ser humano é movido pela busca do prazer ou medo da dor e se autossabotar é um processo de alívio ou fuga momentâneos, que tira seu foco do seu objetivo fazendo você retornar aos padrões habituais e “seguros” de comportamento.

objetivoÉ assim quando queremos emagrecer, parar de fumar, começar um execício, acordar mais cedo, mudar de emprego ou de profissão. Quanto maior for o objetivo, mais profunda precisará ser a mudança. Quado o antigo padrão não nos serve sabemos que precisamos de outro. Mas, se decidimos mudar, se racionalmente sabemos que a decisão que tomamos, o plano que traçamos é melhor, porque isso acontece?

 

Por que toda essa análise é feita pela parte racional da nossa mente e nossas ações são comandadas pelo nosso inconsciente, pelo emocional, mesmo sem que tenhamos consciência disso.

Nossa mente tem padrões implantados, um sistema de crenças, suportados pelo nosso inconsciente e criado para nos proteger, porém quando queremos mudar, por vezes, precisamos modificar esse sistema, precisamos mudar hábitos, comportamentos e a forma como entendemos e nos relacionamentos com coisas e pessoas.

Carl Jung fala: há certos eventos que não percebemos de modo consciente, eles ficam abaixo do limite da consciência. São eventos que acontecem mas são absorvidos de maneira subliminar

Subliminar é uma palavra que vem do latim e significa abaixo do limite.

De forma subliminar estão nossas impressões de acontecimentos que “aparentemente” não nos afetam, que as vezes nem nos lembramos, mas fazem com que a gente se comporte de determinada forma. Subliminarmente  estão padrões de comportamentos que nos serviram de exemplo na infância e absorvemos, estão as formas de ver o mundo que nos foram apresentadas por alguém importante para  naquele momento.

Nosso subconsciente guarda tudo e trás de volta, sob as formas mais sutis. Não é um processo racional, logo não é baseado em algo que esteja acontecendo nesse momento. Não é lógico.

A gente se sabota com base no que a gente viveu no passado (impressões guardadas em nosso subconsciente) e por medo de coisas que ainda não vivemos.

Eu fiz um hangout sobre esse assunto com algumas dicas para quem deseja parar esse comportamento. Clique no vídeo para assistir.

Alguns sinais da autossabotagem que podem ajudar você a descobrir, se é que ainda não sabe, se você está se sabotando:

  1. Você repete comportamentos que te deixam insatisfeito e que prejudica seus resultados;
  2. Você faz exatamente o contrário do que gostaria e planejou fazer;
  3. Quando você costuma dizer:  “eu não sei como isso aconteceu”, “eu não sei porque eu só tenho relacionamentos desse tipo”, “eu não sei o que eu faço para merecer isso”, porque o processo não é consciente, por isso você não se dá conta dos motivos que levam você a fazer o que você faz.
  4. Você não consegue cumprir os compromissos e promessas, principalmente com você mesm0;
  5. Você tem muitas desculpas para o que deixa de fazer;
  6. Tem a sensação de estar correndo em círculos, tipo o gato atrás do rabo;
  7. Acha que tudo esta contra você e na maioria das vezes se comporta de maneira pessimista;

Se alguma coisa lhe parece familiar, pode ser que você esteja se autossabotando. Uma das primeiras coisas que se deve fazer é verificar o padrão. Sim, existe um padrão de comportamento que se repete. Se você ficar presente para o que antecede esses fatos repetitivos, poderá encontrar o gatilho que faz sua mente te sabotar.

Subscribe To Our Newsletter

Join our mailing list to receive the latest news and updates from our team.

You have Successfully Subscribed!